quinta-feira , 19 outubro 2017
DCIM100GOPRO

Melhores de 2014 – Os 5 melhores lugares para pedalar em São Paulo

Para quem pretende começar o ano pedalando! Estivemos ao longo do ano descrevendo vários lugares bons para treinar e juntamos os 5 melhores nesta lista. São todos de fácil acesso para quem mora em São Paulo e busca fazer bons treinos de ciclismo, confira o post completo!

O ciclismo é um esporte que vem crescendo muito no Brasil. A cada dia que passa mais adeptos ao uso da bicicleta como esporte buscam lugares para treinar e praticar seu exercício, seja ele diário ou apenas aos finais de semana. Em São Paulo, assim como todo centro urbano, se torna um pouco mais difícil encontrar lugares seguros para treinar, que possuam pouco tráfego de carros e que seja fácil de chegar, mas eles existem!

Listamos aqui os 5 principais locais para treinar na sua bike de estrada:

USP

DSC04495O campus da USP é o principal ponto de treinamento para quem mora em SP. Praticamente todo ciclista paulistano já treinou por lá ou ainda treina. Para quem costuma treinar durante a semana a USP possui a vantagem de abrir bem cedo (05:00), favorecendo os treinos da madrugada e não interferindo no dia a dia dos que precisam estar cedo pela manhã em seus trabalhos.

São diversas as possibilidades de percurso e cada pessoa ou assessoria costuma variar dependendo do treino. O mais tradicional passa pela raia olímpica, praça da reitoria (bolinha), avenida da FEA, rua dos bancos e volta para a raia olímpica, um percurso de 10km. Para treinos de subida o local mais indicado é a rua do Matão ou subida da Biologia (veja o vídeo aqui), são cerca de 800m de subida onde é possível fazer um bom treino.

Mas, apesar de ser o mais antigo local de treino, é um dos que pior recebe os ciclistas. São muitos os buracos no asfalto, principalmente na região da raia olímpica, que somados a uma iluminação ruim nas madrugadas, podem se tornar ainda mais perigosos, é difícil enxergar todos os buracos à noite. Esperar amanhecer também não chega a ser uma boa alternativa, a partir das 06:30 da manhã o tráfego de carros nas ruas da cidade universitária é muito grande e o respeito ao ciclista é muito baixo, deixando o treino arriscado. Aos sábados fica mais confortável de andar, mas são tantas as bicicletas que fica difícil fazer um treino mais forte, sendo uma opção mais aconselhável apenas para fazer um giro leve. Outro ponto preocupante da USP é o número elevado de assaltos a ciclistas, que se tornou crônico no início de 2014, mas que agora parece mais controlado. Existe uma verdadeira quadrilha especializada em roubos a ciclistas nas ruas da USP, merece cuidado.

Veja os principais pontos de assalto nesta matéria que fizemos no começo do ano.

Veja a matéria completa sobre corrida e ciclismo na USP aqui.

Ciclovia da Marginal Pinheiros

A Ciclovia construída na marginal pinheiros é um dos melhores locais para se pedalar em São Paulo. Entre a linha do trem e o rio é bastante segura e não possui a interferência do trânsito. Circulam por lá apenas carros da manutenção do trem, estação de tratamento do rio, entre outros, mas que não chegam a representar risco aos ciclistas.

O percurso atual é de 15km ida e volta, totalmente plano e com diversas lombadas no decorrer da pista. Elas não chegam a atrapalhar mas merecem atenção para evitar acidentes, principalmente quando se anda no vácuo. O percurso total possui 43km, mas está interditado temporariamente para as obras do monotrilho e tem previsão de liberação em outubro de 2015.

Uma constante que gera uma dificuldade adicional ao percurso é o vento contra em um dos sentidos, ele está sempre presente.

Este é um local ideal para quem pedala sozinho ou em pequenos grupos. Grandes pelotões já não são aconselháveis, principalmente pela falta de espaço. A pista é estreita para este tipo de pedal e a chance de acidentes aumenta.

Aos finais de semana, a ciclovia reúne muitas famílias e pessoas que estão ali curtindo o passeio. Se o foco é treinar e andar em velocidades maiores na pista, procure chegar o mais cedo possível aos sábados e domingos de sol. Nesses dias o movimento a partir das 10 horas da manhã é bem alto e pode ser trabalhoso imprimir um treino mais forte pelas diversas ultrapassagens que serão requeridas. Vale ressaltar aos que frequentam a ciclovia que tenham atenção nas ultrapassagens, pois sem o devido cuidado podem se tornar perigosas.

Veja a matéria completa sobre a ciclovia da Marginal aqui.

Riacho Grande (Serrinha, Serra Velha)

riacho grandeEstrada que dá acesso ao parque nacional da Serra do Mar e acaba nele, não ligando a nenhum outro lugar. Por essa razão é um trecho muito pouco movimentado, às margens da represa e muito bom para pedalar.

O terreno é variado, mas não chega a ser montanhoso, são subidas curtas e pouco inclinadas sempre seguidas de uma descida que faz com que as médias de velocidade se aproximem de uma estrada totalmente plana. O percurso completo começa no clube da GM e vai até o portão do parque, ida e volta possui cerca de 16km e normalmente os ciclistas dão várias voltas.

Aos sábados e domingos o movimento de ciclistas no local é grande, mas é aconselhável começar o treino cedo, por ter menos trânsito de carros. Apesar de não ligar a nenhum lugar, existem alguns bares ao longo da estrada e algumas pessoas vão pescar na represa o que acaba gerando um movimento de carros. A estrada é de pista simples com acostamento, a parte arriscada são as pontes, que não possuem acostamento, por isso é sempre bom olhar para trás antes de passar por elas para ver se não está vindo algum veículo e sinalizar com a mão que irá entrar na pista.

Pico do Jaraguá

DCIM100GOPROEsse é o local ideal em São Paulo para quem quer encarar uma montanha de verdade. Localizado na região metropolitana da cidade, é possível chegar pela Rodovia Anhanguera ou pela Rodovia dos Bandeirantes, sendo a primeira a melhor alternativa para quem vai de carro. Desde a rodovia muitas placas guiam ao parque, tornando o caminho bem fácil e com baixa possibilidade de erro.

O fato de ir de carro torna o aquecimento antes da subida praticamente impossível. A pouco mais de 100m de onde se estaciona, a inclinação já aumenta e mostra que estamos prestes a subir uma serra. São 4,5km que geram uma fadiga considerável, com inclinação média de 7%, chegando à máxima de 18%.

Quase todo o percurso é protegido do sol pelas sombras das árvores, o que torna a temperatura agradável durante a subida e diminui o desgaste. A inclinação não é constante, há pontos onde ela alivia um pouco e é possível girar bem as pernas, mas prepare-se para o último km, ali a inclinação é alta o tempo todo e o final, quando pensa que está acabando, é uma verdadeira parede com 18% de inclinação, mas que possui um visual incrível, valendo a pena todo o esforço da subida! Para quem está mais acostumado ao ciclismo, é chegar ao topo e descer em seguida, para encarar a subida mais algumas vezes e fazer um belo treino! Não se pode ir ao pico buscando um treino baseado em distância, porque é difícil fazer um grande volume subindo e descendo a serra, mas deve-se buscar um treino de intensidade e qualidade de subida, isto com certeza será possível!

Veja a matéria completa sobre corrida e ciclismo no Pico do Jaraguá aqui.

Estrada dos Romeiros

Romeiros 1A estrada dos Romeiros proporciona o melhor pedal na região, o mais completo. Essa estrada é uma grande alternativa para quem deseja treinar subidas, mesmo não tendo nenhuma serra propriamente dita. É um sobe e desce constante, com poucas retas longas, principalmente nos primeiros e últimos 20 km. A estrada não possui acostamento e é de pista simples, mas não tem um movimento muito intenso. Além disso, como são muitas as romarias que passam por ali, as pessoas que utilizam esta estrada já possuem um respeito maior. De qualquer forma, o melhor dia para se pedalar com certeza é o domingo pela manhã. Aos sábados também é bom, mas o tráfego de carros é maior e o de ciclistas é menor.

O caminho mais utilizado é o percurso com saída do posto no km 48 da Rodovia Castello Branco até Cabreúva e voltando pelo mesmo caminho. São 65,5km com desnível acumulado de aproximadamente 1.200m. É um treino voltado para quem já possui um preparo físico no mínimo moderado. Para esses será um desafio a distância e as muitas subidas. Para os avançados não será tão desafiador, mas é um treino consistente para melhorar o desempenho no pedal. Existem outras alternativas de percurso mais longo na Romeiros, para vê-las confira nosso post completo sobre a estrada.

O mais importante deste treino é sair com a consciência de que a volta será mais difícil que a ida, não importando a distancia a ser percorrida. Além da grande concentração de subidas nos últimos quilômetros, o vento quase sempre é contra na volta, dificultando bem o treino, inclusive nas retas. Aconselhamos também a andar sempre em grupo, gerará mais segurança e ganharão mais respeito com os carros que circulam por lá.

About Map of Sports

O MOS é um site criado pela paixão por esportes. O seu objetivo principal é divulgar o esporte e todos os seus benefícios. contato@mapofsports.com

Check Also

capa ironman

Ironman Florianópolis x Ironman Fortaleza

Nos últimos anos o Triathlon vem crescendo muito no mundo todo, e principalmente no Brasil. ...